segunda-feira, 16 de maio de 2011

Complexidade Cósmica - da Alma

Oh! Céus!
Como se não bastasse
Do Universo a complexidade cósmica
Também dentro do Homem se encontra
Universo paralelo,
Dentro de mim:
Um mundo equivalente ao de fora

Entre paradigmas e Leis
Dentre tantas coisas
Neste espaço interno:
O Mundo da Alma!

Confuso e perdido me encontro
Lá, onde se encontra o espelho que reflete
A Vida que aqui fora vivo...
Pois é lá onde ecoam as vozes da consciência
Deste indignado Poeta!

Se perdido dos incompreendidos sinais
De um olhar-oculto...
Se nostálgico é o beijo da Noite
Ao sabor da Lua Prateada...
Se confuso ao olhar do Verde-Azul-Mar...
Ah! cruel Complexidade Cósmica!
Oh! complexo universo interno!

De Ti quero resposta
Oh! Alma-Profunda!
O que ocultas ai dentro?!
Falo de Ti, sim, falo de Ti!
Oh! musa perene dos meus sonhos de outrora...
Oh! ser incompreensível...
Filha dos Astros noturnos...
Filha da Rainha da Noite!
Reflita, reflita!
Reflita em mim o brilho da Lua,
E ilumine as trevas
De minha ignorância
Com dizeres tão claros!

Pois que de Ti já não mais sei
Nem se o que sentes é Vida ou Morte...
Talvez do silêncio em Ti a Sorte:
Dizer quiçá do Amor perdido no Tempo;
E a razão de para o Deserto caminhar...