sexta-feira, 23 de novembro de 2012


Por uma ligação à minha princesa

Hoje percebi que, se tu não me ligas, sinto a necessidade automática de ligar para ti. E isto serve de prova, para mim mesmo, do quanto é preciosa cada ligação telefônica [mesmo se um simples toquinho apenas] entre nós.
Meu amor, quando, tentando convencer-te da nossa reciprocidade telefônica, digo que se tu não ligas para mim eu ligo para ti, estou dizendo não mais que a verdade presente em meu coração. E, como dito, hoje realmente percebi [contente, surpreso comigo mesmo e satisfeito] que aquelas palavras não foram em vão [ou: da boca para fora]! Pois realmente senti-me vazio hoje à tarde ao tomar em punho meu celular e, desta vez possuindo os benditos "créditos", lembrar-me de que tu não estarias com o teu "comunicador" disponível neste período. 
Oh! céus! que lástima e, ao mesmo tempo, que iluminação sobre a importância da nossa comunicação amorosa por telefone! Uma coisinha assim, tão simples, tão sutil, tão casual e ordinariamente afetiva, mas, sobretudo, tão repercussiva em si mesma - ao menos para nós.

Meu amor, minha companheira de naufrágio [nesta costa naufragada em Pecado], é com essas ditas palavras que te lembro: me importo muito contigo. E é com tais apontamentos cotidianos, ainda que singelos, que levanto a bandeira do nosso amor, para assim celebrarmos juntos a alegria de navegarmos por um mesmo destino. Rumo ao Céu mais alto! 
Pois saibas: sem ti meu universo é reduzido ao nada. E que contigo meu mundo é tudo do que mais quero para ser feliz.

In corde Iesu et Mariae semper: amém!


De seu amado, Leandro Vieira.

Paranavaí, 22 de novembro de 2012.

terça-feira, 18 de setembro de 2012


Após tantas reviravoltas,
Milhares de aconteceres em meu vil existir.
Prós, contras...
Dores, prazeres...
Depois de tudo o que já me aconteceu
Cá estou, firme e forte (poderia dizer por dizer)
Na "crista da onda!" (como dizem os surfistas)...
Poderia até sorrir para o Mundo inteiro
E dizer que "hoje livre sou" (como diz a canção),
E que por isso sou Feliz!

Mas nada disso Veritas seria,
Não fosse um Amor que hoje tenho
Ao meu lado sempre atento.
Alguém que me compreende
Sendo quem sou e como sou.
Alguém que, por mais que o tempo passe,
Será a cada dia mais e mais igual a si mesma:
O Amor que Deus preparou para mim
E que eu não fazia ideia que um dia encontraria!

E tudo não passa do que a Verdade significa:
Deus é Deus e vice-versa...
Maria é Mãe, o resto é conversa!



Só queria agradecer, como para sempre o farei, a Deus por ter me concedido a oportunidade de participar do quão misericordioso Ele é ao dar-me a cuidar um ser tão... tão... tão...
Enfim, minha Amada, minha Noiva!
E queria também dizer a todos que este Amor não se escreve a lápis nas páginas da Vida! Pois este, como bem o sei, foi entregue já escrito pelo Autor dos autores, Criador dos [sub]criadores (J.R.R Tolkien).
Se fosse escrever um livro, por enquanto, título melhor não teria que "Leandro e Daniela, um Amor divinamente Eterno - li-te-ral-men-te!
Te amo, meu Amor! Que Deus nos abençoe, dia a após dia, e consagre nossos corações a cada instante em que passarmos um no outro, contemplando nos olhares a Alma que tanto ansiou uma pela outra!
E a cada vez que "mal" te sentires, lembra-te do que em nossos olhares, beijos e abraços podemos sentir: a resposta de Deus às nossas mais profundas preces!

In corde Iesu et Mariae semper!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sempiterna Beleza

Meu Amor, que dizer...
Se há tanto Valor neste Estar-com-Você!
...
Palavras?
Que Palavras... ou com quais poderia eu dizer:
Que sem Ti não há tempo Feliz...
Se Feliz é só quem de Deus um Par recebeu
Para a dança eterna da salvação!

Sendo assim só contemplo...e Te contemplo, noiva minha!
E no Templo do nosso Amor, permaneço, calado...
Olhando as Estrelas dos teus olhos negros, 
Como a Noite que viaja de uma orla à outra do Zênite Opalino
Meu Amor, que dizer...
Do Valor que é Estar-com-Você!
Sempre assim: 
Sempiterna Beleza... pois que Bela é a Verdade
E a Verdade é "Nós".

terça-feira, 17 de julho de 2012

Ao Amor da Minha Vida




Se digo que desta vida tudo posso explicar, certamente mentindo estou
Pois que, à mente humana, nem tudo se explica, apesar do que a Mente [já] mostrou
Mesmo assim a resposta buscamos
Apesar da noss'imperfeição, 
Que das coisas maravilhosas a mente dê conta, e nos traga conforto à razão!
Um fascínio é o Amor da nossa vida,
A pessoa que se faz presente em nossos momentos mais significativos (em nossas histórias)
E é por isso que eu digo ser impossível definir
O que a Vida (Deus) nos traz: como "Você"
Pois, do que Deus faz, nada é passível de ser "capturado" completamente pela mão humana!
Meu Amor, você é simplesmente o que uma obra de Deus significa:
Sinal divino em minha existência, gota mágica de orvalho celeste, capaz de tocar o âmago de meu interior: o Calabouço Dialético de meu espírito.
Amor meu, flor minha...
Não te deixes entristecer se um dia eu morrer:
Mas morrer de Amor por Você!
Pois se digo que desta vida o teu SER eu posso explicar, certamente mentindo estarei
O que posso, já digo, é o que habita
Bem no fundo do teu Coração
O Amor com que ama-me a mim
A ternura com que tece, qual em pano de cetim, orações a meu favor
Meu Amor somente Você é a Flor da Primavera em minha jornada cá na Terra!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Um Ano de Namoro

Se não fosse pela data, especialmente a "litúrgica", jamais acreditaria que hoje, exatamente hoje, estamos completando nossa primeira volta em torno do Astro Rei! Um ano de namoro, desde que o Senhor nos uniu em profundo Amor. E cá estamos, a comemorar nossos exatos 350 dias de comunhão amorosa. Meu amor, o que dizer? Simplesmente é demais! Gostaria de deixar aqui, ainda que de forma singela, porém não menos sincera, que sinto-me completamente realizado, completado, felizardo, pleno... enfim, me sinto FELIZ! Ao estar ao teu lado. Ao poder contar com a tua parceira nesta jornada rumo ao Céu. Temos tantas coisas a fazer pela frente. Tantas missões subordinadas à Grande Missão que o Senhor nos legou. E por isso não podemos deixar de orar e rezar em nome da nossa permanência em Deus. Pois nunca pensei que, naquela tarde de Corpus Christi, meu pedido a Deus se encontraria realizado exatamente no mesmo dia (porém à noite). Passou tão rápido que parece ter sido ontem que nos conhecemos e começamos a cantar juntos nas Celebrações da Santa Missa dominical em Maristela (olha só o "nome" da cidade, né!?). Enfim, cá estamos, juntos, rezando e lutando pelos nossos dias. Sentindo dores e prazeres, angústias e alegrias. Sobretudo, vivendo! Por isso, peço a Deus que nos permita cumprir nossa missão sem pecar contra Ele. Que recebamos as graças necessárias, bem como os dons do Espírito Santo para cumprirmos todas as nossas metas em Deus. Não pereçamos pelo caminho; não desanimemos em meio à tempestade; não deixemos apagar, em nós, o brilho que poderá servir aos propósitos da Luz Divina! 

Quero dizer que te amo 
Meu amor e minha princesa
E que sem ti eu não mais viveria 
Se não fosse com tua beleza 
 Saiba, a vida é tão curta 
Para vivermos lado a lado 
Com pessoas que amamos 
E saber que não é pecado 
Amar e se amado... 
Meu amor, minha amada 
Podes ter certeza disto: 
Que te amo e vou te amar 
Por toda a vida que vier 
E que sem ti não sei viver 
Que sem ti não há viver! ... 
Desde o dia em que nos vimos 
Deus nos viu primeiro, eu sei. 
E no Corpus Christi divino, 
Nos uniu pro Opus Dei! 
Venha a mim, pois vou a ti, 
Vamos juntos ao Céu mai Alto! 
 Feliz dia SETE, dia santo, de Deus: 
O dia em que o Pai uniu Antes dos nossos próprios olhos se tocarem! 
 É isso: TE AMO ETERNAMENTE! 
 Leandro & Daniela!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Dia-a-dia - ao meu Amor

Feedback semanal e "O exprimir do Coração-Espírito" Na correria dos dias me encontro, em meio ao fluxo caótico da insana e terrível modernidade. Rumo a um horizonte relativamente indefinido - por conta de fatores que a própria modernidade nos impõe cotidianamente. Há, contudo, momentos em que podemos parar para respirar (ou tentar, pelo menos) e escrever um pouquinho em nosso Blog particular. E é nesses momentos que podemos perceber a situação em que nos encontramos psicológica e espiritualmente - ao relermos os próprios Posts. Dentre tanta correria, tanto caos e, consequentemente, tanto estresse, posso parar e, aliviado, relembrar-me que existe alguém que pensa em mim assim como eu também penso (de volta). Isto me anima e consola, perante tanta balbúrdia capitalista modernista. Oxalá fosse sempre fácil levar a vida sem se "contaminar" na ansiedade dos dias atuais. Mas acredito na misericórdia de Deus, e na poderosa intercessão de Nossa Senhora. Vamos superar isto! Bom, pensando em meu Amor, minha princesa e amada alma-gêmea em Cristo, cá na Terra, só posso dizer que não me sinto nem um pouco digno de tê-la por parceira, por amiga, por irmã, por "mulher". Uma porque não sou o tipo que mereça alguma coisa de valor - se não dou o valor às coisas ou às pessoas. Duas porque tenho tantos pecados que se fosse para esperá-los sumir, demoraria o tempo de uma estrela morrer no espaço... e olha lá! Aliás, não se some com os pecados: espera-se em Deus pela Sua misericórdia e por nosso nosso ato de contrição! Por isso exclamo: como Deus pode ser tão bom para comigo? Como posso "suportar" tamanha bondade!? Como pode dar-me, por parceira, um anjo da esfera dos Serafins? Meu amor, tu sabes, Deus é BOM! E é por isso que nos faz tantos prodígios, a fim de que O glorifiquemos e louvemos, cada vez mais e mais! ... Por isso, digo num ar de poeta: Se à noite frio tu sentires, e se pesadelos teu sono trouxer: Acalma-te e, atenta, presta atenção à voz que ouvirás do fundo do teu coração: De minh'alma um sussurro, aí dentro, eternamente soará! Especialmente para momentos assim!... Contigo estarei até o fim dos tempos, podes ter certeza! Pois que Deus atrás jamais volta, em Seus planos celestes! E se a Noite insistir em perturbar o teu doce repouso, e a insegurança teu peito abalar... Lembra-te que o meu coração ao Céu foi entregue... A fim de que contigo fique para sempre o meu Amor! "Mais do que mil somos UM"! ♥Leandro Vieira e Daniela França♥ Eternamente Ama(rra)dos em Deus!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

EPOPÉIA



Meu amor, dentre tantas inseguranças que a Vida nos impõe, dentre tantas aflições, tribulações, ansiedades, temores e terrores, não podemos contar com mais nada além da em Deus para caminharmos mais tranquilos por esta estrada.
Sem Deus em nosso pensamento diário, alimentando nosso coração com Esperança e Amor, tenho a certeza de que não valeria a pena lutar, pois nada faria sentido. E, como bem nos mostra aquele psiquiatra anti-Freud, o Viktor E. Frankl, se o ser humano perde o sentido da vida, ele se perde a si mesmo. Não adianta tentar escapar desta premissa existencial. Pois somos determinados, em nossos corações, pelo Sentido (com S maiúsculo mesmo) que encontramos para a Vida... ou melhor, a NOSSA Vida!
É por isso que não podemos deixar de nos segurarmos, escorarmos, respaldarmos e nos embasarmos no Grande Sentido que nossa Missão aqui na Terra tem! Temos de nos manter firmes com ESTE SENTIDO que Deus nos deu [e sempre nos dará].
E para garanti-lo [o Sentido] basta sempre fazermos um esforço de memória, caso o dia esmoreça ou perca um pouco o sabor para nós.
Sendo assim, não deixe que o Sentido que nos guia se dissipe, se apague, e, assim, você fique "pra baixo", deprê, down.

Mas o Sentido só pode ser encontrado a partir do Equilíbrio entre todas as partes de um todo. Ou seja, entre as peças, como um grupo, e o Motor que juntas elas compõem. Caso contrário, o Caos predominará, e, predominando, tristeza e confusão nos trará.

Eu e você, por exemplo, somos como que miniaturas de todo um Universo, um Cosmos, uma galáxia. Pois que cada um de nós, com sua essência humana, sua Natureza psíquico-espiritual, comporta os mesmos padrões que o Mundo inteiro apresenta em seu mecanismo de funcionamento geral. Somos peças da grande Máquina de Deus - a Natureza e o Mundo que ela move.
E cada organismo possui seu próprio Sistema de funcionamento embutido em si, sendo esse Sistema subordinado ao Grande Sistema da Vida, a Natureza, tal qual Deus concebeu no Gênesis. Não podemos nos esquecer disso, jamais!

Por tudo isso, você, assim como eu, precisa de certos "elementos", digamos, "essenciais", para alcançar a Felicidade [o funcionamento da grande máquina simbolicamente empregada aqui]. E esses elementos estão, logicamente, ligados às três Virtudes Teologais que nos salvarão do Inferno:

- Fé
- Esperança
- Caridade (ou Amor, como quisermos)

Mas, fora tudo isso que estou dizendo, o mais engraçado de tudo o que vivemos (eu e você) até agora, é que podemos parar por um segundo e, como se fôssemos estudiosos de um filme de Cinema, analisar os "episódios" que nos tem ocorrido no decorrer dos dias, dos meses e semanas, e buscar encontrar as "pistas" deixadas pelo "Diretor" desta Obra de Mistérios. Isto é que é, digamos, 'legal'.
Ou seja, todos os dias trazem consigo algumas coisas interessantes para cada um de nós aprendermos mais e mais. Pois cada dia tem lá o seu "teor místico, filosófico e cinematográfico".
Bobo é quem não souber tirar proveito disso. Se todos gostam de filmes com cenas românticas, místicas, filosóficas, "Belas"...

De nossa vida, posso garantir que o "enredo" é incrivelmente, infinitamente, mastermente, supermente, ontologicamente, plusmente, ultramente MAAAAASSA!
Não se esqueça, somos personagens principais desta História que o Autor Supremo criou entre nós dois.
Minha felicidade, desde que te conheci, agora é buscar, contigo, alcançar o Amor, o Perdão, o crescimento espiritual em geral, o amadurecimento do coração e muito mais.
Lembre-se, na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença, somos só você e eu neste Filme, neste Romance...
Ou melhor, nesta EPOPÉIA!



Em tanta tristeza que a Vida traz
Tu és a Alegria que me dá Paz
Não temo o escuro nem a maré
Pois junto contigo mantenho a Fé

Amor, tu bem sabes que somos Um
Por isso não temo perigo algum
Em Terra distante caminharemos
E a Vinda do Cristo esperaremos!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Aleinad

Nossa! às vezes me pego pensando no quanto a vida é ampla, inefável, incerta. São tantas coisas para se pensar. Tanto para se sonhar. Muitos planos para se fazer. Mas tudo isso só tem sentido se continuarmos vivendo; no entanto ninguém sabe o dia da morte!
Por isso, é importante ter em mente algumas posições um tanto imutáveis em relação à própria vida. Em primeiro lugar, a Fé. Em segundo, a Esperança. Em terceiro, o Amor (Caritas). Acho que estes três elementos são conhecidos da maioria que está lendo este Post, certo? Aliás, não sou eu quem as proponho, mas São Paulo, o grande Apóstolo.
Bom, voltando às incertezas da vida; como é difícil parar e meditar hoje em dia. São muitas opções cotidiano a fora. Muitas opções e uma única escolha a ser feita. E isso é que mata! Não há escapatória! Uma vez filho do século XXI, você é filho do caricaturado Caos contemporâneo!
Por que menciono o Caos? Simplesmente por termos "nele" nossas maiores problemáticas existenciais! Não há um minuto sequer sem que este bendito nos importune ou cutuque.
Sendo assim, resta-se pouco a fazer, quando a única coisa que você tem é optar por uma única alternativa dentre milhares e milhares. E COMO isso nos causa ansiedade! Eis o mal!
Mas só escrevi este Post porque de repente me veio uma vontade de louvar o Amor que tenho por minha amada. E dizer a ela, por aqui, e indiretamente, que a amo e não vou abrir mão de minha busca em ser Perfeito para com ela. Mesmo que tenha de tropeçar, cair, levantar, tropeçar, cair e levantar de novo... assim o farei, a fim de alcançar a plenitude junto dela!
Comecei escrevendo sobre as balbúrdias do nosso cotidiano caótico para ilustrar que, mesmo em meio a ele, uma lembrança insiste em vir à tona em minha memória e coração: a figura e recordação da mulher amada!
Meu amor, cá despejo sobre ti, a minha ode, meu Amor por teu Ser:

Dos campos silvestres uma Rosa vi
Que em meu peito amante despertou o Amor...
É tão Belo o Ser que vejo por ali:
Rosa perfumada de sublime odor!
Nestes campos verdes eu quero viver
Bem ao lado dela: minha linda flor...
Pois assim foi que para Deus eu pedi
Viver uma vida de sincero Amor!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Complexidades Relacionais - Vislumbres Sociais/Relacionais/Afetivos

Das Faltas e "Pisões na Bola" para com os Outros


Quando falhamos com as pessoas que amamos surgem questões de difícil tratamento, caso se tenha pouco tempo para se pensar a respeito. Em primeiro lugar porque pode ser que haja algum grau de inocência da parte daquele que "pisa na bola" - e, por outro lado, muitos graus de culpa, evidentemente.
No caso em que o culpado possui, ainda que minimamente, certa inocência, se torna complexa uma justificação. Isto se dá pelo teor "imperdoável" que a culpa faz pesar sobre o réu. Pois se doutra forma, não haveria atrito nem acusação.
No caso de um casal de namorados - em que o namorado deixou de ligar para avisar a namorada que o almoço teria de ser adiado em uma ou duas horas - a questão se torna ainda mais elucidativa.
Peguemos este caso como "cobaia" para ilustrar o quanto esta questão é complexa. Em primeiro plano, podemos dizer que ambos, namorado e namorada, participam de uma relação de sentido e sentimentos. Alguns motivos (por estarem lado a lado na vida) se dão pela amizade que os une. Outros, pela capacidade de fazer o outro sentir prazer (em N modalidades) ou ausência de sofrimento. Outro ainda, pelo valor que um demonstra para com o outro em aspectos gerais.
Pegando este último exemplo como ponto de apoio, analisemos por um segundo a questão da fidelidade e permuta nas ações dos casais.
Se a namorada dá uma barra de chocolates para o namorado, isto significa, para ele, que ela gosta muito dele e resolveu gratificá-lo com um doce, ou seja, para lhe dar um certo grau de prazer na vida (gustativamente falando).
Se o namorado, por seu turno, dá flores à namorada numa tarde de sábado, para a namorada, significa que ele é romântico ou que se importa com a manutenção do relacionamento como um todo (mas pode estar tentando alegrá-la por ter-lhe ferido os sentimentos num dia anterior qualquer).
Se nossas ações provam os valores atribuídos por nós às coisas e pessoas, poderíamos dizer, então, que a quantidade de ações agradáveis que um faz pelo outro denotaria o grau de valor e amor entre ambos?
Mas a questão se torna delicada a medida que as "faltas" cometidas são irreversíveis no plano temporal. Somente voltando no tempo seria possível resgatar aquilo que se perdeu com a dita "falta". Ou seja, não há como aprendermos tudo em um mesmo momento. Talvez até demore mais do que imaginamos. Talvez a pessoa amada só significará o que realmente deveria ser evidente que significa desde o princípio de uma relação, ao decorrer do segundo ou terceiro ano de namoro. E isto nos faz pensar sobre como queremos as coisas ao nosso redor.
Se 'pecamos' para com o outro, não basta pedirmos perdão. Temos de 'querer mudar' e fazer melhor, fazer 'certo' da próxima vez [quando esta existe], não é assim?! Pois então, a questão, agora, é decifrar como resgatar o momento perdido de fazer algo que, por segundos, passou pela cabeça, mas que, em segundos de bobeira, vácuo, vazio, se perdeu no passar das horas e minutos...

quarta-feira, 21 de março de 2012

A Ela...



Como gole de água fresca
Numa quente tarde de labuta;
Qual refrigério de um anestésico
Em ferida recém aberta...
Tal como o calor da lareira
Numa noite de inverno...
Assim é o contemplar daquela face serena,
Ao ligar, de meu computador, a Tela!

quarta-feira, 14 de março de 2012

Para Daniela, Amor do Meu Coração!



Meu amor, aqui vai uma modesta, porém diligente, reflexão-proposta para buscar uma solução ao teu problema (estresse saturado).

Muitas vezes nos preocupamos com coisas que excedem nossa capacidade de absorção, de assimilação, de flexibilidade, enfim, nossa capacidade de suportar determinadas coisas do dia-a-dia. Por isso, uma das alternativas para aqueles que, como tu, padecem num sofrimento excessivo em relação ao estresse diário-familiar-geral, é buscar refletir. Mas não somente refletir, no sentido de pensar contemplativamente a respeito de nosso padecimento presente. Falo aqui de uma "reflexão terapêutica". O que seria isso? Perguntar-me-ias tu. Seria o mesmo que uma atitude de contra-ataque perante o agente causador de nosso Estresse.
Mas como, nos questionaríamos todos nós, uma simples reflexão poderia ajudar a, se não aniquilar o Estresse, pelo menos diminuí-lo? Talvez a resposta esteja na própria questão em si mesma! Pois que o Estresse, como a maioria das pessoas bem o sabe, é desencadeado por um processo denominado "psicossomatização" - a somatória dos ditos "pepinos", um em cima do outro, até que não suportemos mais e expiremos numa crise de sintomas e mais sintomas maléficos, ditos "psicossomáticos".
Bem, uma vez entendido que o Estresse é uma "consequência" e não uma "causa", podemos voltar à questão da reflexão como atitude de contra-ataque ao nosso dito 'vilão' psicológico.
Quando um determinado suporte - como uma mesa, por exemplo - contém muita coisa em cima de si mesmo, este começa então a ceder, arriar, a perder o equilíbrio e, por fim, a desabar. E isto significa que, obviamente, o dito suporte foi extremamente "estressado" pela quantidade excessiva de massa sobre si mesmo. Lembrando que o termo "Estresse" tem, na Etimologia da palavra, o sentido de "tensão". Ou seja, numa situação humana, como é o caso aqui abordado especificamente, quando alguém começa a se estressar demais, é necessário deixar de lado a preocupação, digamos, que causou o determinado estresse, e buscar a [nova] preocupação em resolver esta consequência da primeira - se é que ficou claro.
O Estresse possui, segundo a Psicologia, três estágios antes de entrar no que chamamos: exaustão.
O primeiro estágio chama-se de "Estado de Alerta". É quando o corpo sente que algo mudou no mundo externo e, assim, começa a desenvolver-se, modificar-se, ou seja, a se adaptar à altura desta mudança - a fim de equilibrar-se novamente com o ambiente.
No segundo estágio do Estresse temos o "Estado de Adaptação" - já mencionado acima, quando o corpo e a mente, como um todo, buscam o "equilíbrio" geral à situação nova.
O terceiro, por fim, é o estágio em que, não havendo capacidade adaptativa o suficiente para desfrutar do equilíbrio entre o mundo externo (situações diversas da vida como clima novo, pessoas novas, emprego novo, namorado(a) novo(a) e etc), o corpo começa, então, a etapa de "exaustão" de si próprio.
Agora é o momento de eu alertar a ti, meu amor, e a todos os que assim estiverem. Pois que o estado de exaustão deve ser evitado com a maior preocupação e diligência possíveis. E por que falo isso? Porque é difícil 'sair dele' sem ter de 'recorrer' à medicamentos e terapias muito caras. já pensou(aram), que situação!
Pois bem. A alternativa é refletir muito bem sobre os possíveis pivôs, isto é, causadores dos consequentes estresses diários. Seja problemas familiares. Seja profissionais. Seja relacionais em geral, mas o importante é questionar-se sobre as possibilidades de enfrentar de uma maneira melhor. De uma forma com a qual se possa desfrutar de pleno domínio.
É necessário, antes de tudo, repensar nossos lazeres, nossas formas de buscar alegrias e recreações. Pois que as recreações são importantíssimas para o nosso desenvolvimento psicossocial, espiritual, cultural, emocional e etc.

Aconselho-te, meu amor, Princesa Minha, a buscar, após profundas [orações e] penitências interiores, bem como a consulta a um piedoso religioso santo e íntegro (ah! ao Sacramento da Confissão também, talvez seja até isso!!!) focalizar-se a si própria no que se refere à maneira como tens vivido, reclamado, lutado e interagido com outras pessoas (no geral mesmo).

No que precisar, estarei sempre cá, do teu aconchegante lado, sempre atento ao que te mais urgir, e também para entregar-te, sempre e cada vez mais, pedaços do meu Coração, que sem ti não sobreviveria ao naufrágio em que Adão e Eva nos lançaram com sua soberba: o querer ser como Deus.
Amor, sobretudo, entrego-te a minha vida em parceria, na jornada rumo ao Paraíso...
E encomendo-te a Alma à Santíssima Virgem, Nossa Senhora das Graças, a Quem nunca se ouviu dizer, em parte alguma da Terra, que alguém, precisando deveras de Sua ajuda, foi esquecido e não-atendido!
Fiques na santa Pax Domini, tenhas uma excelente, abençoada e amena noite de sono pela frente. Durma com os anjos do Céu, principalmente teu anjo da guarda pessoal, Santa Teresa D'Ávila, São João da Cruz, São Francisco de Assis, São Tomás de Aquino, Santo Agostinho, Santa Filomena e São Bento!

Proponho-me a mim mesmo, jejuar e abster-me de doces, nesta Quaresma, também, em sentido da tua melhora, recuperação do mal-estar geral e em benefício de tua santa alma feminil, que muito me agrada e cativa.
Saibas que, sem ti, nada eu seria do que, após junho de 2011, estou sendo para Deus até agora!

In corde Iesu et Mariae, semper!

LDForever!

segunda-feira, 12 de março de 2012

Dai-me, ó Virgem Pura: Fé, Pureza e Bravura!



Ó Virgem das virgens,
Santíssimo e vivo Sacrário da Redenção,
Concedei-me a mim: a Graça de poder lutar

Dai-me, ó Virgem Pura: Fé, Pureza e Bravura!

Pois que da Grande Guerra (ainda) não sou capaz
De, em nome da certeza sobre mim mesmo, uma espada empunhar
Nesta Batalha dos dias sem fim...

Ó Virgem das virgens, ouvi-me e atendei-me...
Pois sozinho não percebo de minh'alma a fraqueza,
E sem ti meu sonho de outrora:

Vencer-me [nEle¹] ao conhecer-me a mim mesmo!

Possível jamais será sem a tua encomenda às mãos Daquele que é, era e sempre o será!

Dai-me, ó Virgem Pura: Fé, Pureza e Bravura!

E ensina-me a espada empunhar,
Nesta luta dos dias sem fim...





1 - Deus

sábado, 10 de março de 2012

Do Último Post - Esclarecimento Crítico

Em vista do último post - bem como do primeiro comentário nele postado - achei interessante fazer aqui um breve comentário a respeito da subjetividade humana, que é, muitas vezes, sobreposta à objetividade inerente aos fatos, quando se faz comentários sobre argumentos a respeito dos mesmos.
O que eu quero dizer com isto? Que muitas vezes, ao ler postagens críticas sobre determinado assunto [como no caso da minha advertência contra a Internet e suas possíveis más-consequências sociais], muitas pessoas vão mais pelo lado subjetivo, ou seja, discutem o assunto a partir da primeira "impressão sentimental" que lhes foi gerada, e não das ideias discutidas na argumentação postada.
Em seguida, caso estas pessoas tenham alguma relação (próxima ou distante) com o autor(a) dos argumentos criticados, bem como das doutrinas ou linhas doutrinárias com as quais foi discutido tal e determinado assunto, passam a comentar de outros assuntos que não os especificamente abordados pela crítica focada! E isto é absurdo!
Não se deve confundir as coisas. É preciso abordar do assunto apenas o essencial, e não inserir críticas pessoais concernentes à conduta, maneira de ser, forma de agir e etc. O que resultaria num OUTRO debate crítico!
Fica, aqui, a observação de minha parte. Vamos por etapas. Primeiro, vamos nos conscientizar a respeito da geração futura. Sobre a "galera" que vem por aí. Do mundo novo, gerado pelos internautas e suas características "desapegadas".

PS: Aliás, este meu Post sobre a Internet e seus perigos me veio quando assisti a um documentário do Canal Futura a respeito do mesmo assunto. E que isto esclareça, em definitivo, donde provém tal crítica. Pois que o próprio Futura fez menção dos artigos críticos cá mencionados.

domingo, 4 de março de 2012

Cuidado com a Nova Era Virtual!

Caros amigos [e virtuais] leitores, quero muito encarecidamente pedir-vos que não vos distraí quanto às influências da Internet. Prestai mais atenção às impressões que esta vos tem causado sobre a alma e buscai analisar, com maior cuidado, sobre o que está acontecendo ultimamente com o Mundo [e todos nós e vós], e como este tem mudado bruscamente - por 'culpa' do Universo criado na/pela Internet -, pois que normal não é tamanha mudança no fluxo evolutivo da civilização global!
Observai assim vossas próprias vidas, e contemplai com aguçada diligência sobre as coisas que aqui menciono.
É como o próprio site Parafernálha.com.br diz

"Quem nasceu na década de 80 com certeza ainda mantem muito vivas as lembranças do início dos anos 2000. De lá pra cá, tanta coisa mudou que se um indivíduo dormisse de 2000 até 2011, provavelmente acordaria se sentindo um homem das cavernas".

Para quem ainda não entendeu, estou a falar dum Mundo Novo, negativamente moderno (Nova Era). Sem Alma, sem Amor, sem Humanidade! E, assim, sinto dizer que, doravante, viveremos o verdadeiro Caos Espiritual. E não adiantará buscarmos um otimismo sem fundamento; seria o mesmo que não buscá-lo. A verdade é que os fatos estão aí para provar o que é dito cá. Pois o Mundo está prestes a, definitivamente, ruir espiritualmente. E a ruína do Espírito, como nós cristãos bem sabemos, seria a ruína do próprio Homem como tal. Por isso, não podemos permitir, como soldados de Cristo, que as pessoas percam a sensibilidade sobre tais coisas!
"Ide e evangelizai a toda criatura!" Eis o nosso mandato! Eis nossa missão! Caso contrário, não seremos verdadeiros servos, mas meros papagaios de doutrina.

Irmãos [e irmãs] leitores, vós que ainda preservais a dignidade cristã, o Amor a Deus e ao próximo, lutai comigo pela Vida! Pelo Amor, pela Justiça e pela Verdade! Não permitamos que a Mentira domine a realidade com o Caos do Espírito que o Mundo Virtual visa implantar por plenitude!

A Internet, como sabemos, é um Universo de pluri-possibilidades virtuais. No entanto, se não há, por parte do(a) Internauta, verdade [e real necessidade] nos intuitos de sua utilização, não se alcança nada além de Vazio! E é por isso que precisamos ter esta consciência urgentemente!

domingo, 26 de fevereiro de 2012

♥Para Daniela, o Amor da Minha Existência 'Carno-Espiritual'♥

Amor,
Das Rosas Tu és a mais pura,
Mais linda e mais suave...
Pois que da Verdade,
Tua Alma, tal como a Minha,
Com fidelidade, é amiga-irmã,
Olhos unidos num só horizonte:
O Zênite opalino...
O Céu de Deus!
Amor,
Das Estrelas Tu mais cintilas,
Pois do escuro fogem as Sombras
Em presença da Tua prece
Ao sabor das Palavras
Que Teus lábios produzem doces!
Em meu peito só restam Palavras...
Para de Ti gozarem enaltecer,
E, da Tua formosura feminil,
Um retrato descrever!
Amor,
Sou guardião da Tua essência,
Pois que da minha Tu és esposa,
Princesa-Rainha...
Somos mendigos no Reino do qual Reinamos...
A Vinha que o Senhor nos confiou,
Até a Sua majestosa Volta!

TE AMO!♥

O Bem - segundo Bento XVI, o atual Papa

No discurso de abertura desta Quaresma, o Santo Padre, o Papa Bento XVI, escreveu "[...]o bem é aquilo que suscita, protege e promove a vida, a fraternidade e a comunhão[...]". Eu não poderia definir o bem, em se tratando de fraternidade entre pessoas, de forma mais enxuta e verdadeira do que esta.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Debatendo Contra Ateus na Internet

Para uma pessoa que conheceu, ainda que imperfeitamente, a Verdade sobre Deus, é mui divertido contemplar os argumentos malucos desses ateus de Internet. Há uns dias atrás estive assistindo a vídeos no Youtube e me deparei, num deles, com um de certo carinha (por enquanto ainda desconheço o nome) que se diz sinceramente ateu; cabelinho comprido, cavanhaquezinho à lá John Petrucci (guitarrista do Dream Theater) e tudo mais.
Bom, o que ouvi dele foram argumentos do tipo: se Deus existe, por que então há o mal? Ou temas que atacam o conceito cristão de "Livre-Arbítrio".
Pegando, por exemplo, este último tema questionado pelo Petrucci cover, fiquei boquiaberto com o caráter infantil, rebelde e tosco dos argumentos dele, e, pior, atônito em como tanta bobagem podia estar contida em um vídeo de poucos minutos!
Fiquei intrigado, fustigado e extasiado pela oportunidade de conversar com ele a fim de compreender os motivos que levaram-no a tamanha besteira de ideia ateística.
Enfim, até agora meu e-mail recebeu mensagens-resposta aos posts que enviei para o vídeo no canal, mas nenhum com calor apologético suficiente para discutirmos a sério.

Em primeiro lugar, para quem ainda faz a questão "se Deus existe, então por que tanta gente morre tragicamente, às vezes pelas mãos de pessoas malígnas, ou por situações constrangedoramente injustas?" fica uma questão anterior, posta por nós, cristãos: "por que vocês, que questionam a Deus sobre temas universais, amplos, complexos, imperscrutáveis (em seu todo) não param de debater com o Criador e buscam compreenderem-se a si mesmos por PRIMEIRO?
Ou melhor, antes de pôr Deus em disputa, por que não vão fazer exame de consciência para saber se realmente estão em condições de questionar alguma coisa!

O sujeito, de repente, se acha na posição de juiz de Deus, páreo para julgar as coisas qual Adão pondo nomes aos animais a mando do Criador. Mas enfim, é uma soberba sem tamanho. E o pior é haver muitos seguidores de tamanha bobagem. Achando-se no seguimento de um profeta da Verdade. Sequer imaginam (esses partilhantes de tais ideias ateísticas) o tamanho do buraco que há no barco em que se encontram navegando. Bom... fica aí a minha leitura sobre tal absurdidade.


O LIVRE ARBÍTRIO

Tantos santos e santas de nossa Madre Igreja já comentaram com perspicácia teológico-filosófica dos conceitos e apreensões sobre o Livre-Arbítrio, mas nenhum ateu parece atento o suficiente para compreender esta riqueza dos tempos. Suponhemos então que todos eles estejam "cegados" por alguma coisa que, no mínimo, não é boa.
A liberdade de que dispõe o homem nada mais é que uma possibilidade de escolha entre algumas opções "limitadas". O que isto quer dizer? Significa que o Livre-Arbítrio só pode ocorrer dentro de opções limitadas da existência. Por exemplo, se eu sou livre para comer de tudo, assim procedo, comendo de tudo o que ao meu redor e dispor tiver. Mas não sou livre para comer daquilo que, sendo nocivo ao [meu] organismo, possa resultar em mal estar ou morte em seguida. Outro exemplo, se sou livre para andar nu em qualquer lugar, o mesmo não posso dizer de meu organismo, caso esfrie demais e meu corpo peça aconchego e calor. Ou seja, posso escolher com a mente, mas não posso arcar com as consequências, não posso mudar nenhuma consequência.
Consequência! eis o que o nosso amiguinho ateu coloca para buscar elucidar para nós, cristãos, a questão. Diz ele que confundimos punição divina com consequência natural. Ou seja, segundo ele, nós utilizamos explicações convenientes para nos safarmos dos ataques [pseudo]lógicos dos ateus, ratos de Internet, dizendo, ora que um acidente não foi Deus quem deixou acontecer, mas sim foi consequência do motorista ter bebido demais, ora que, quando um paralítico se cura num hospital foi Deus quem ajudou.
Seguindo o [tortuoso]viés crítico-analítico do nosso Petrucci cover, acabaríamos, sim, crendo que Deus não existe! Mas, Oh! Razão das razões! Oh! Verdade divina, Cristo Jesus!... temos a Deus por Pai, Maria Santíssima por Mãe, e, assim, sabemos quão falaciosos são tais argumentos ateísticos! Quão mesquinhos de humildade! Quão presunçosos!
O Petrucci cover acabou se julgando "auto-modelo", critério-próprio, linha própria-metodológica de análise crítica dos conceitos de liberdade e de Deus, e TUDO numa tacada só. Incrível, não!
Ele acaba confundindo, pior do que aquilo de que nos acusava, a "punição" divina, descrita nas Sagradas Escrituras, com as consequências óbvias de qualquer ação humana. Ou seja, ele acha que as consequências como tais, são diferentes das "punições" divinas frente aos nossos pecados.
Será que não ocorre ao "dizinfiliz" a lógica da coisa em si?
Continuo depois...

...

In corde Iesu et Mariae semper!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A Natureza Fala da Verdade, Fala de Deus!



Toda atitude humana, bem como todo padrão de comportamento ou forma de pensamento que não esteja conforme a natureza dos fenômenos que nos circundam está (e assim deve ser concebida sempre) ERRADA!
Sim!... devo, aqui, ser fatalista para haver compreensão imediata por parte dos leitores!
Ou seja, quando você vir alguém tomar uma atitude ou se expressar de forma contrária aos padrões da natureza tal como Deus a criou, nem deverá pensar duas vezes antes de disparar um alto e claro: "ESTÁ ERRADO!" E isto não será autoritarismo, ou presunção, ou quaisquer tipo de atitude egocêntrica, pois estarás dizendo da Verdade!
Se você parar para observar, hoje em dia parece predominar uma certa postura [nocivamente] artificial no modo de pensar da grande maioria das pessoas. E por quê?
Talvez porque o que é contra Deus esteja simplesmente no comando do fluxo da sociedade [ironia pura!]. Afinal, retomemos uma coisinha básica, quem é mesmo o Príncipe deste Mundo segundo as Sagradas Escrituras?
Então, né...
Bom, penso aqui que o que podemos fazer, quando muito, é rezar e nos penitenciarmos, sofrendo uns pelos outros, na missão evangelística de buscar a salvação - nossa e - de todos, principalmente dos que estão ao nosso redor.
Mas voltando ao tema do início, sobre a questão da falsa postura humana perante a Verdade, é muito complicado tudo isso. Se por um lado a maioria pensa contrário ao verdadeiro fluxo de consciência e pensamento, a pequena minoria cristã contém uma grande maioria de analfabetos doutrinários e espirituais! E isso gera mais problemas ainda.
Pensemos um pouco. A massa da população pagã, ateísta, panteísta e etc, pensa que existe outra maneira de conceber a realidade que não aquela projetada e manifesta nos processos naturais dos fenômenos da Natureza que Nosso Senhor criou. Ou seja, hoje em dia o azul do céu pode não ser mais azul, e sim a cor dos nossos olhos. E o que é veneno pode não ser mais veneno, e sim algo que o nosso corpo ainda não entendeu ou suporta, e que a "evolução" resolverá daqui uns milhares de anos ou séculos vindouros.
Tsc tsc tsc!
O que pensar a respeito?
Simplesmente que a loucura se democratizou e tomou conta da grande massa populacional! Se antes, na época de Santo Tomás de Aquino era blasfêmia sem paga dizer que Deus não existia, hoje, é inconcebível viver segundo critérios baseados no mesmo Deus que um dia foi o parâmetro de todos os valores culturais ocidentais medievais. Esperemos até aonde isso tudo nos levará.
Não parece haver um bom rumo pela frente. E o fim realmente parece se aproximar.
A medida que o homem se afasta da natureza, constrói o próprio sepulcro e a própria ruína. E Deus é FATAL!... Não tardará em dar a sentença final!
Esperemos que nossa conduta esteja de acordo com a Verdade... senão....
Bom, a verdade é que somos tão acomodados que nem prestamos atenção ao quanto de mentiras demoníacas já aceitamos por conveniência político-social, cultural etc.
O Mundo vive de conveniências, independente se estas atacam de frente à Verdade, a Deus!
Observemos o nosso corpo, com seu metabolismo, como proposto no Post anterior a este. E notemos que suas leis provém de tudo menos a nossa vontade consciente. Significa que é autônomo, involuntário, inconsciente. Pelo menos até o ponto em que não depende de pensarmos para funcionar tal como funciona e que sempre funcionou desde que nos entendemos por seres humanos. Agora notemos o quanto estas leis são imutáveis perante fenômenos que "ameaçam" o equilíbrio do bom funcionamento metabólico. E notemos ainda o quanto nosso metabolismo é hostil à bactérias externas, a vírus, aos fungos e a qualquer organismo extranho que não tenha afinidades ontológicas com nosso sistema corpóreo.
É isso, pessoal. Basta observarmos a natureza de nosso próprio corpo para termos um bom exemplo de como é Deus. Ou seja, Ele trabalha a existência da maneira como trabalhou o sistema natural do sistema cósmico e biológico.
E este exemplo já explica por quê é pecado sexo com preservativos. Pois, para o corpo, estaríamos estimulando-o a produzir matéria prima para um novo ser humano, o que é o objetivo de tal ato (cópula). Mas, em nossos propósitos egoístas e irresponsáveis, estaríamos vetando-o de sua função, objetivos e, pior ainda, do projeto Divino - do qual viemos à Luz!
Não está clara a questão da Verdade perante a Natureza?
Olhemos para os números, convenções simbólicas com finalidade à quantificação dos componentes existenciais. E percebamos que se 2+2 são 4, é porque a realidade não pode se contradizer a si própria. Seria absurdo uma hora ser 4 e noutra mesma somatória 5 ou 6 ou 2,4 - o pior é que o Mundo Moderno está tentando fazer valer este "falso espírito da realidade".
Estamos vivendo uma era de conceitologias ou conceitolatrias. Cultuando teorias modernas pela simples convenção moderna de se utilizar do que é prático, fácil, ATUAL.
O homem atingiu uma academicidade alienada, sistematicamente alienada. E tal fato não melhora em nada a produção de boas obras para a humanidade. O que deveria ser feito? Precisamos de salvação imediata!
Antes lutava-se para provar que Deus existia ou não existia. Hoje, provar alguma coisa é mito. Nada se prova. Tudo se prova. Nada é nada e tudo é tudo. Ou seja, não há padrões... não há mais arquétipos. Não há modelos nem paradigmas epistemológicos universais.
O próprio termo Universal já virou heresia nos altares da teoria sociolinguística.
Se você tenta defender uma literatura universal, pelo teor formativo-universal da mesma, já é combatido por uma massa pseudo-pensante de extrema-esquerda e revolucionária, que tentará destruir até o último dos moicanos do pensamento conservador católico!

Mas em contraste a tudo isso que foi dito: peço a Deus, à Nossa Senhora, aos santos anjos, e a todos os cristãos que rezam pelo Mundo... forças e as Virtudes necessárias para alcançar o Céu, desde já, aqui na Terra.
E, assim como a uma vela que queima em meio à escuridão, quero verter luz para todos ao meu redor, iluminando-os com a chama da Fé, Esperança e Caridade, mesmo que me custe o consumo de minha própria alma; tal como a vela que não percebe que, enquanto ajuda a iluminar, se destrói a si própria pelo bem maior.
Assim nos foi o Cristo, que se entregou em sacrifício no altar da Salvação, a fim de nos abrir as Portas do Céu.
Tudo pode se tornar exemplo para fazer analogia às coisas de Deus.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Conceitolatria Rasa e Preconceito Vazio



Voltando do trabalho para casa, comecei a pensar sobre a (pouca) profundidade com que pensamos sobre as demais coisas da vida. Então comecei a notar e a concluir(por mim mesmo e olhando as pessoas ao meu redor) que a maioria (a maioria MESMO) não tem noção sequer de metade daquilo que deveria saber para bem opinar sobre qualquer assunto. Todos nós (falo por nós brasileiros), num geral, refletimos muito POUCO sobre os assuntos que nos circundam e pertencem. E, quando muito, pensamos apoiados em conceitos tão superficiais, tão "água-com-açúcar", que a questão sobre pensar ou não pensar sobre determinada coisa não muda nem um porcento de lugar. Aliás, como é que temos a hipocrisia intelectual de achar que temos o DIREITO de opinar - e a maioria opina-por-opinar - sobre determinada coisa sem um mínimo de objetivo, de meta extra-opinião?! É extremamente absurdo opinar-por-opinar!
Ninguém deveria buscar esta conduta - tão disseminada em nossos atuais meios intelectuais nacionais, principalmente os acadêmicos (irc!).
"O mundo mudou!" diz o modernista radical, sedento por, digamos, "movimento", ou melhor, mudança-pela-mudança (e não por uma justa causa) - e mudar por mudar, pra mim, vale tanto quanto opinar por opinar = NADA vezes NADA!
Aprendemos o maldito vício de agir por cômodos padrões de atitudes pseudo-intelectuais, fabricados dentro de um sistema alienadamente convencional que veicula as grandes massas pseudo-pensantes da sociedade (destaque-se, aqui, brasileira, por foco do autor).
Tudo isso que falei me surgiu num lapso de tempo, enquanto dobrava uma esquina qualquer, no caminho de volta para casa. Até porque sou professor agora, e isso tem tudo a ver com a questão-em-questão, aqui levantada.
Muitos de nós não refletem sobre quão rasa é nossa concepção de determinado assunto, do qual necessitamos saber, no mínimo, mais de 80% para que haja justiça no fenomenal momento em que opinamos sobre tal. E isso é o que mais dói. Não saber quase nada e agir como se fosse possível tapar o sol com a peneira! Irc! Irc!
Gostaria de gritar ao mundo: BASTA!
Infelizmente é imposssível, por enquanto!
Esse negócio de definir conceitos também me dá nos nervos. É um tal de "defina-se em seus conceitos para nos entendermos e falarmos a mesma linguagem" que até desanima debater sobre qualquer coisa.
Claro que não estou criticando o conceito em si, mas a "conceitologia", ou melhor, conceitolatria acadêmica que alastrou-se ultimamente em nossas universidades.
Meu amigo(a) leitor(a), pense um pouco comigo: se você precisa definir, a todo instante, sobre os conceitos que você usa em seu discurso sobre determinado assunto, é, no mínimo, porque um problema de linguagem está evidentemente presente!
Analise um pouco: se antes, nos comunicávamos sobre quaisquer temas da existência com palavras popularmente convencionais, ou seja, sem atritos conceptivos, cognoscitíveis, intelectivos, "compreensionais" e etc, é porque o homem, quiçá, mantinha um certo padrão de sinceridade para com os fenômenos entre si e ao redor de si e, principalmente, sobre o próprio fenômeno da linguagem com a qual se era exposto determinado argumento. O que eu quero dizer é que, antes, havia menos falcatrua linguística, menos "RELATIVISMO" intelectual, político, cultural e religioso!
Outra coisa que me interceptou no caminho, logo em seguida, foi o fato de que hoje se fala muito em preconceito. E não é mais somente sobre racismo, como nas décadas passadas. Agora é moda falar em homofobia, xenofobia, intelectofobia, burrofobia, e muitas "bias" mais...
A questão é que chegou-se a um ponto irritantemente intolerável: o homem começou a tocar na VERDADE... ou melhor, a cutucá-la para que esta saia de cena e permita ao RELAVITISMO geral ocupar a Cátedra dos critérios humanos mais nobres: aqueles pelos quais se definia a Justiça, a Bondade, a Beleza e tudo o que sempre fez BEM ao Ser Humano.
Com esta nova moda pseudo-intelectual, tenta-se criticar a Igreja Católica Apostólica Romana, acusando-a de preconceituosa inflexível, quando não "caduca", "inquisitiva" e muitas outras acusações espalhafatosas mais. E por causa de quê? Simplesmente por Ela DENUNCIAR as heresias, o PECADO, o homossexualismo (enquanto confesso e ativo), os vícius, o MAL!!!
Agora quero convidar meus leitores a refletir um pouquinho mais profundamente sobre uma analogia que proponho:
-
Considere-se o corpo humano, por exemplo. Note-se bem que ele possui um metabolismo autônomo, com um sistema programado "naturalmente", isto é, sem intervenção humana alguma. E agora preste bem atenção ao que vou destacar e coligar ao assunto do preconceito à Igreja:
Quando um corpo ou ente "extranho" adentra-se no metabolismo referido, o que vocês acham que acontece?
Provavelmente um aluno de primário responderá que os anticorpus combaterão aquele corpúsculo extranho, buscando, a todo custo, se não destruí-lo, pelo menos expulsá-lo o mais longe possível do sistema naturalmente programado para viver conforme a LEI estabelecida.
Mas o "modernista" de platão - e aqui serei o máximo irônico - com certeza, deveria dizer que as células, bem como os glóbulos brancos, vermelhos, roxos, cinzas e rosas do corpo humano deveriam parar com esse negócio de protestar, de "rejeitar", de "combater" o que é DIFERENTE. Afinal de contas, "tadinho" do diferentezinho, só porque não é igual não pode morar junto do corpo humano? Buááááááá!
Quem sabe se o corpo não repensasse suas LEIS biológicas, e resolvesse fazer as pazes com TODOS OS VÍRUS, todas as bactérias e fungos...
Não seria, pergunto no mais profundo de minha ironia, tão mais LINDO, gêntémmm:
Reflitam, pensem, e analisem como a natureza é justa, e sincera!
E reflitam sobre a Igreja querer defender a Vida, a Justiça, o Amor à Verdade e a Deus... e Zé Finí!

☺In corde Iesu et Mariae semper!☺

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Poesia - Rainha da Guerra


Recentemente, ao frequentar um Blog dum católico também crítico e bem informado da crise da Igreja no Mundo Moderno, encontrei com alegria uma poesia da esposa do finado e queridíssimo professor Orlando Fedeli, o qual defendeu com a própria vida o cristianismo e o catolicismo simultaneamente. Reproduzo a poesia com júbilo e assinando em baixo, viva Maria Santíssima, Nossa Senhora de todas as graças: Jesus Cristo!

RONDÓ DA GUERRA

Minha Mãe, não me deis paz,
Não me deis paz nesta terra.
Neste mundo que vos faz
Constante e terrível guerra,
Dai-me a guerra e não a paz.

Dai-me sempre o gesto audaz
E a palavra que aterra
Pela verdade que traz.
Dai-me coragem na guerra
E não me deis jamais paz.

A mentira que compraz
E que desculpa quem erra,
O golpe que volta atrás
E que teme entrar na guerra,
Não me deis nunca tal paz.

Nem o repouso fugaz
Que todo recuo encerra
Essa mansidão falaz
Não me deis, mas dai-me a guerra,
Porque me mata essa paz.

Oh Vós, Rainha da Guerra,
Que só na liça dais paz
A paz que não é da terra –
Não me deis morte na paz,
Mas dai-me a vida na guerra.

E Vós, Príncipe da Paz,
Que viestes trazer a guerra
Que toda verdade traz,
Dai-me a vitória na guerra
E, na luta, a vossa paz.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Como aprender?

Esta tarde, enquanto voltava do centro da cidade para casa, me peguei a pensar sobre o Ensino em si, isto é, no ato de ensinar e, consequentemente, de aprender. Mais especificamente falando, concentrei-me numa pergunta: se muitos já se indagaram sobre como ensinar eficazmente, coloco-me, agora, na questão de como aprender eficazmente!
Mas a pergunta não durou muito em minha cabeça, pois logo em seguida surgiu outra ainda mais específica e pessoal: como EU aprendo as coisas?
Foi assim que voltei para casa, pensando se eu sabia realmente como é que minha mente aprendia as coisas da escola e da vida em geral; se eu conhecia perfeitamente o melhor método (particular a mim) de aprendizado.
Só que nenhuma conclusão me veio à mente durante esse tempo de reflexão. Afinal, o professor, enquanto bom mestre, seria garantia de um bom aprendizado para qualquer tipo de aluno? Claro que a pergunta soaria no mínimo tola e inoportuna, devido às inúmeras elocubrações da área pedagógica e psicológica sobre o processo de ensino-aprendizagem. Mas o que me corroía nesta tarde, como dito, era o fato de que nós precisamos aprender a COMO aprendemos as coisas desta vida. Ou seja, não basta alguém estudar, cientificamente, a como ensinar da melhor maneira (método). É preciso, também, saber o melhor método de aprendizado por parte do discípulo, o discente. Ainda mais que isso, é preciso haver uma séria meditação 'particular' da parte do discípulo para que a educação (o ensino-aprendizagem) ocorra eficazmente. Foi a esta conclusão preliminar a que cheguei até então.

Se Sócrates, pois, dizia que deveríamos nos conhecer a nós mesmos, era porque havia algo, segundo sua visão filosófica, inerentemente relacionado a, praticamente, toda a questão da existência humana - imbutida nesta ação auto-cognoscitiva. E creio que ele não estava blefando quando assim auferiu de suas reflexões.
Penso que conhecer-nos a nós mesmos significa nos esforçar para aprender e catalogar nossos vícios e virtudes, qualidades e defeitos. E que nisto consiste a sabedoria para bem viver, ou seja, ter Humildade, ou melhor, conhecer-se a si próprio diante do mundo (e também de Deus, claro), e dos homens; pois isto é o melhor meio de se ser Humano.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Um livro eu quero escrever
Sobre o quê, não sei ainda
Mas já tenho um palpite:
Vou falar da minha Linda!

(...)
Continua...

A Vida



Deus a Vida nos concedeu
Mas respirar precisamos
Se vivendo ainda queremos continuar

A vida nos concedeu

Mas colher precisamos
Da terra os preciosos frutos
Se de fome padecer não queremos

A vida Ele nos concedeu

Mas se às feridas a cura queremos
E a dor, no silêncio, prender...
Das ervas preparamos o unguento
Para às feridas a cura trazer...

Deus a vida nos concedeu

Mas nossas talhas havemos de encher
Se receber da Morte o beijo não queremos
Então devemos lutar por viver

Deus a vida nos concedeu

Mas nossa parte havemos de fazer
A Dele é boa, é vida, é essência
A nossa é a Ele obedecer!

Em Nosso Reino



Meu amor, como expressar em palavras daquilo que somente a Alma e o Coração compreendem?!
Como discorrer sobre fatos interiormente tão profundos que desafiam ao intelecto mergulhar tão longe nestes abismos mortais da Alma?!
Amor, meu Amor! Como é grande este vale por onde passeiam meus pensamentos de amor por ti...
E como é vasto este prado, onde pernoitam poesias e poemas, cantigas de pueris momentos a dois, aos pés de um imenso carvalho.

Meu amor, aqui, no sublime palácio do meu coração, somos só nós dois, a cavalgar pela gramínea fresca da Primavera.
Nossos sonhos por lá deitam flores e doces aromas.
E na fragrância deste momento onírico, sobrevoam nossos pensamentos somente coisas boas, pois que somos assim, duas crianças nas mãos divinas. Cantando à existência o dom de existir, e aqui habitar.

Sem nós não há eu, não há tu... não havemos de ser!
Somos Um.
Do sete somos a explicação,
Dele somos o símbolo...
E nalgum dia, quando o sol esfriar a Terra, e a Lua deixar de ser inspiração aos poetas apaixonados, só assim te esquecerei!
¹



1 - Nunca! (risos)

Virtude e Caridade (Amor)

"A Virtude é fruto do desprezo de si próprio", já dizia S. Catarina de Sena em uma de suas cartas. Isto é muito interessante para nós, cristãos. Pois a virtude é um Bem preciosíssimo, seu valor é inestimável, e ela não pode faltar (de jeito nenhum) na lista dos Bens almejados pelo ser humano; em específico os seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo; até porque é através dela que o caráter cristão se mostra em sua plena idiossincrasia existencial, isto é, na sua essência natural.
O cristão, assim como o próprio Cristo, é aquele que demonstra piedade, valor, humildade, sapiência (sabedoria), temor (de Deus) e muito mais. Em resumo, diria que o cristão é um ser virtuoso por plenitude - ou ao menos deveri sê-lo, em teoria.
Nós, que adoramos o Verbo Encarnado, devemos buscar imitá-lo ao pé da letra, ou seja, sem deixar de lado nenhuma das virtudes demonstradas por Ele no Evangelho. Precisamos disto para nos mantermos em estado de Graça Santificante, que é o estado no qual podemos desfrutar da presença e Graça do Espírito Santo de Deus. É neste estado que o Senhor não nos nega o que pedimos (se o fazemos para honra e glória de Deus, claro). Por isso, devemos almejar, antes de mais nada, a realização de todas as virtudes em nossas vidas!
Um ser virtuoso é, conforme vimos ainda há pouco com S. Catarina, alguém que se despreza a si próprio. Mas não é por nada que assim o faz. Quem se despreza a si próprio deve assim fazer por um único motivo. Por Amor!
Sim, pois quem ama não se apega em si mesmo, pelo contrário, faz o possível para dar de si ao próximo. E nisto consiste a cristandade. O Amor é "Ágape", e isto quer dizer: entregar-se por Caridade.
Se somente quem ama (caridade) consegue o desprezo total de si próprio, então, somente aquele que ama consegue ser realmente virtuoso. Poderia até inverter, dizendo que só quem exerce a virtude é que ama, pois ninguém faz o Bem sem Amor!
Dizendo tudo isso, podemos pensar na vida intelectual, ou melhor, de estudo. Aquele que se propõe estudar os componentes da existência, este deve, antes de qualquer coisa, aspirar pela virtude. Pois que sem esta é impossível alcançar os benefícios de tal arte. E o maior Bem que o estudo pode possibilitar é a Verdade!
A Verdade é o que nos impulsiona, nós humanos, a viver plenamente felizes. Sem Ela é impossível sermos felizes. A Verdade é o Bem em si próprio, e o Bem é a Verdade. Não há como separá-la disto.
E Deus é a Verdade, o Bem-Último de todas as coisas. Por isso, aquele que estuda, deve manter-se consciente desta Verdade. Pois nosso intelecto pode zapear por áridos desertos antes de reconhecer isto. E seria lamentável encontrar uma mente capengando-ponto-e-vírgula (como o diz um amigão meu) por aí.
Quem estuda deve querer "só" a Verdade. E é por isso que não se estuda por estudar, mas para aprender a Verdade sobre o mundo e sobre o Criador do Mundo.
Sem esta Metodologia de estudo não se pode ser feliz.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

verdadeira 'Verdade'

Lendo a Sagrada Escritura, especificamente no Livro de Hebreus, capítulo 11, vemos uma explicação tremenda e divina sobre o que é a verdadeira Fé. Desta concluímos que fé não tem nada a ver com sentimentalismo, com fortes emoções, com experiências místicas paranormais e etc. Pois Fé, conforme o Apóstolo, é uma "certeza" de coisas que ainda estão por vir; é a firmeza do Espírito naquilo que ainda não se realizou. Por isso, ainda segundo o hagiófrafo, pela Fé (1ª virtude teologal) foi que o povo de Deus caminhou. E a história deste povo é testemunho daquilo que se acaba de afirmar, em tal Capítulo Bíblico.
É justamente por essa razão, isto é, através da correta concepção do que é a Fé para Deus, que devemos aprender a caminhar, nos dias modernos, mais atentos à Palavra divina.
O mundo moderno conseguiu, como qualquer curioso aos fatos pode perceber, a proeza de elaborar as mais bizarras concepções sobre o que é a Verdade, Deus, Beleza, Filosofia, Ciência, a Existência e etc... e por isso é ultra necessário aprender (e ensinar) a "verdadeira" Verdade!
Soa estranho, mas é assim mesmo. A verdadeira Verdade é algo perdido nos tempos atuais. Pois se cada um possui a sua "própria" verdade... como ficamos então sobre o que Ela realmente seja?!
Assim, precisamos buscar na Palavra, na Tradição e no Magistério (conforme o próprio Deus-Humanando nos legou) a Verdade nua e crua! Do contrário, não há Verdade, mas "verdades" com "v" minúsculo mesmo. E quem é que quer estas?
Um exemplo que aprendi muito elucidativo sobre a existência da verdadeira Verdade é o de que ninguém, em seu pleno estado de saúde física e mental, gostaria de ser enganado. E, como sabemos, ser enganado é ouvir uma mentira! Ou estou enganado?
Outro exemplo é o de que ninguém falsifica uma coisa que não existe originalmente, ou seja, algo original, autêntico, genuíno!
Se há algo falso, é porque há algo verdadeiro! Não?
Ora, se há diversas religiões falsas, é porque há uma Verdadeira! E é claro, todas as demais religiões, a começar pelas seitas cristãs a partir, especificamente, do séc. XVI, são falsas porquanto imitam a Verdadeira, a Católica Apostólica Romana, a Primeira Cristã do Universo... a primeira a estabelecer o Cânon Bíblico, ou seja, os Livros Inspirados pelo Espírito Santo de Deus. Negar isto é uma blasfêmia contra a própria inteligência dos fatos e da mente humana, imagem e semelhança de Deus no Cosmos.
Mas voltando ao tema da Fé, necessitamos dela para agradar a Deus, conforme o mesmo capítulo (XI) nos ressalta. Infelizmente, porém, a mairia das pessoas não tem fé verdadeira. Tem sentimentos sobre a fé. Tem opiniões sobre a mesma. Tem conceitos subjetivamente formulados, por meio de experiências imperfeitas, imaturas. E, assim, concebe-se que fé seja uma força de vontade fora do comum, capaz de gerar fenômenos "mágicos" na vida de uma pessoa. E por aí vai.
Se precisamos de Fé para agradar a Deus, é porque Ele estabeleceu algo que, só pela Fé, é possível alcançar dEle com satisfação e aprovação divinas!
Por isso que Ele pediu a Abraão que Lhe desse o filho em holocausto, a fim de provar-lhe a Fé. Ora, a Abraão Deus havia prometido uma descendência numerosa por meio do próprio filho, Isaac, a quem Ele havia pedido como sacrifício de provação!
Entendem? Aqui há o mistério insondável de Deus. Seus desígnios são misteriosos e imperscrutáveis a qualquer ser humano, por mais douto que seja. Mas podemos inferir alguma coisa, se nos esforçarmos um pouquinho.
Neste exemplo de Fé, Deus pede a Abraão algo que Ele havia concedido miraculosamente (Sara concebe e dá à luz na velhice, mesmo já estéril). E Abraão, crendo incondicionalmente em Deus, aceita entregar este mesmo filho do milagre divino, pois que "cria" firmemente naquilo que Deus faria. Ou seja, Abraão acreditava piamente que Deus tinha o poder de ressuscitar os mortos, e por isso não questionou nada - esta é a própria explicação teológica do hagiógrafo.
Como vemos, é pela Fé que as coisas de Deus acontecem no mundo aos Seus filhos. E, como a própria Palavra nos alerta, "qual pai que, amando, não educa seu filho?"
Irmãos, vivamos a Fé, seja na saúde, na doença, na alegria ou na tristeza. Pois sem Fé NÃO SE AGRADA A DEUS!¹
Nem eu nem você [e nem ninguém] temos potência intelectual para abarcar o Universo Cósmico da existência. É por isso que a Bíblia é sacrossanta, sapientíssima, Palavra de Deus na Terra! Pois, conforme ela, ninguém compreende a existência "só" pela razão, isto é, pelo conhecimento dos fatos e pela intuição e dedução intelectual dos fenômenos. Crer de tal forma se traduziria numa gnose barata!
Irmãos, é pela Fé que seremos escolhidos. Mas não nos esqueçamos das obras de caridade, hein!



1PS: de JEITO NENHUM!!!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Hermenêutica vesga do [pseudo] pastor Abraão Ribeiro



Hoje um amigo me mostrou (no Youtube) alguns vídeos de um (pseudo) pastor protestante que objetiva, já adianto, catastroficamente, elucidar quem e o que é a nossa Igreja Católica Apostólica Romana!
Vejam o disparate! Um sujeito que se auto denomina "pastor" bancando o historiador da Verdade sobre a Igreja de Roma. É de se matar de rir (ou chorar, para os mais melancólicos).
Bom, começando pelas baboseiras teológicas do sujeito, já não se tem nem vontade de continuar o vídeo, dado o altíssimo teor de falta de estudo e precisão histórica. Tampouco nos sentimos satisfeitos sequer com a hermenêutica do "analfabeto" em Bíblia. O homem tem a coragem de afirmar que a Bíblia só tem 2.000 anos (dá pra crer?!). Tem ainda a audácia de dizer que Pedro não era importante em relação aos demais apóstolos; e continua menosprezando a Santíssima Virgem, descendo-a do lugar de honra que Nosso Senhor a colocou, para demonstrar somente ódio e desprezo pela "Mãe do Meu Senhor"(Lc).
Enfim, só queria dizer aqui que não acho mais graça em discutir questões de lógica e fato com protestantes, uma porque eles não aceitam a lógica, e sim a Fé cega e sem ciência - coisa oposta aos católicos honestos e sinceros, que aceitam ambas, ciência e fé.
Em segundo, QUEM É QUE NEGA A IMPORTÂNCIA DE UMA MULHER QUE DEU À LUZ O HOMEM-DEUS????
Será o Benedito (ou o Zézão) que ninguém (prostestante) percebe que Ela é a Mãe de Deus aqui na Terra, e POR ISSO ("simplesmente", diga-se ironicamente), NÃO PODE PERMANECER MORTA SOB O SOLO, A APODRECER COMO QUALQUER UM DE NÓS!!!
Qualquer um que afirmar que Maria está morta, como qualquer mortal, está cometendo, EVIDENTEMENTE, um pecado contra o Espírito Santo - visto que a Mãe de Jesus não pode ser abandonada como "descartável" após a missão inicial que a ela foi confiada. Se nem mesmo o jumentozinho poderia ter sido montado "antes", quanto mais o Ventre santo de Maria. Afff... chega!!!
Quem quiser saber da verdade, saberá a medida que estudar com coração sincero e sedento da Verdade!
Do contrário, ficar-se-á na mesma "ladainha" protestante de sempre: Maria isso, culto aos santos aquilo... "Culto ao mortos" isso... Imagens aquilo...
Será que eles sabem mesmo ler a Bíblia???
Duvido e aposto que NÃOOO!!!!


PS: a qualquer protestante que quiser, fica o convite de discutir e debater, não comigo, mas contra o catecismo, documentos, Bíblia e Magistério da Igreja (por meio de minha pobre pessoa).

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Idiossincrasias - de mim

Já abordei aqui algo parecido com o que agora vou comentar. O assunto é sobre nossas idiossincrasias. É isso mesmo que você leu. Pois idiossincrasia é uma palavra que, apesar de esdrúxula, significa "modo de ser", isto é, "comportamento natural de um indivíduo ou qualquer coisa perante um estímulo".
Mas não falo aqui sobre a idiossincrasia como um todo, de modo abrangente, abstrato e impessoal; falo de mim. E isto quer dizer que estou como que fazendo minha própria leitura e interpretação existencial.
E se cada um de nós pode ser contemplado como personagem do elenco de Deus, na grande peça da existência humana, pretendo assim interpretar os papéis que venho cumprindo em cena desde os pontos que cá me interessar ressaltar.
Muito bem, comecemos pelas aspirações gerais. Todo ser humano é movido pela Vontade, já o dizia Schopenhauer em algum de seus livros. Concordando com ele, digo que também o sou em todos os aspectos. E talvez o seja até mais do que imaginou o filósofo alemão.
Todos nós fazemos o que fazemos por uma vontade ou por outra. E isto significa que, sem vontade, não fazemos (salvo se obrigados por alguma autoridade ou necessidade mesmo) absolutamente nada!
Depressão é o nome de uma doença consideravelmente moderna na sociedade. É geralmente atribuído a ela, como característica patológica, uma profunda dose de desmotivação no paciente, isto é, falta de Vontade! Sendo assim, tal fato clínico só comprova que o ser humano PRECISA de vontade para sobreviver, em todos os aspectos da existência.
Minhas aspirações básicas, voltando à vaca fria¹, se baseiam na Vontade de profundidade e organicidade. Quero dizer que preciso viver profundamente cada movimento da vida. Se não for para haver entrega TOTAL, para mim, não serve! É por isso que é fácil decifrar se estou animado ou não por algo - basta ver-se o grau de motivação e empolgação com que executo determinada atividade, e assim saber-se-á a verdade.
Desde que me entendo por gente, i.e., desde minha mais tenra infância, noto que sempre fui atraído pela Beleza das coisas. Talvez por isso a Arte tenha papel tão fundamental em minha vida. Não há como separar-me da Arte, principalmente visual e musical.
Desde muito cedo, na Escola primária, já demonstrava grande apreço pelas cores, e mexia assaz com macinha de modelar. Sempre fui apaixonado pela Arte em si.
Depois da adolescência, comecei a me interessar pelas garotas, e meu interesse principal se baseou naquilo que os Contos de Fadas me instituíram como baliza para medir o objeto de minha busca. Assim, as garotas que se enquadrassem naquele perfil que sempre tive dentro de mim, geralmente despertavam meu coração em poesias e canções (nas que eu compunha ou simplesmente ouvia in memoriam).

Poderia abranger todas as partes artísticas que me comovem aqui, mas pretendo ser breve. Então, posso dizer que tudo que é relacionado à Beleza (e vejo as Virtudes Cardeais como BELEZA exultante, e mais ainda as Teologais - Fé, Esperança e Caridade!) me atrai e encanta.
Sou um homem "sensível" no que diz respeito à Arte e à Psicologia das pessoas. Talvez por isso me seja deveras fácil interagir com elas. Pode ser, portanto, que esta característica idiossincrásica me custe caro no namoro, por eu ser "dado" em certas ocasiões, o que geraria "ciúmes" em minha parceira por conta disso.
Mas acredito que tudo tem solução em Deus, e podemos superar vícios e problemas com Fé e Esperança (paciência é filha da Esperança!).

Já que estamos falando sobre aspectos sentimentais, gostaria de deixar claro que quem é muito sentimental para as coisas Belas, também o é para momentos de estresse. E quem é muito sentimental geralmente é muito temperamental também. Isto significa que nos comovemos com o Bem e o Mal proporcionalmente.
Não seria legal me pegar de mau humor e pedir algo que exigiria docilidade - obs: seria a pior coisa!
Sou muito carrancudo para certos tipos de coisas. E jamais gostaria que tais acontecessem. Mas não somos perfeitos, e não há como evitar coisas que não dependem de nós para acontecer ou não.
Se tudo dependesse de mim, seria só paz, amor e esperança. Mas as pessoas variam entre boas, más, invejosas, virtuosas ou viciosas. Então, só tenho a rezar a Deus para que me prepare para TUDO.

Minhas aspirações seguem rumo ao melhor emprego (para mim). Com tantas inclinações artísticas, fica-me dificultoso optar por caminhos restritos. Não sou do específico. Sou do abrangente. Sou de abraçar o Mundo! E isto me custa caro às vezes. Devo aprender a me policiar com esse meu aspecto idiossincrásico.
No mais, sou assim, um meio poeta, meio escritor, meio filósofo, meio psicólogo, meio jogador de tênis de mesa, meio palhaço, meio monge, meio lutador de artes marciais, meio desenhista, meio músico, meio cantor, meio tudo.

(continua... algum dia... - risos)





1 - expressão que quer dizer "voltando ao assunto".

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Prontos para a Guerra Cósmica

De uma coisa estava incerto
Se era certo o que ocorria
Coincidência ou providência...
Mas quem é que saberia?!

Tão depressa acontecera
E de amor nos declaramos
Ao contrário do que o mundo
Diz que tem que ser, se amamos!



E assim nos conhecemos, duas crianças sedentas da Verdade. Ansiosas pela Voz de Deus em suas humildes vidas. Perdidas em meio a um mundo obscuramente maligno.
Duas crianças de Deus que, enfim, se encontraram - ou foram unidas - para uma nova missão.
Desde há muito estavam designadas para cumprir um mandato das Alturas. Mal sabiam como seria difícil. Mas lá estavam, aos pés do Altar, rezando a pedir por redenção. E um sufrágio à Alma.
Eis que agora, unidos em Amor, recebem a Espada e o Escudo do Céu, prontos para a Batalha Celeste!
Qual Anjos recém nascidos, estão para a grande Guerra Cósmica!

DE VOLTA A BORDO!


Por muitos dias este recinto virtual estivera estagnado. Por meses não virou a página. Por meses continuou na inércia. Motivos? Vários. A começar pela humanidade de quem aqui escreve. Como todo ser humano, sou mortal e cheio de falhas. Na verdade devo ter algumas a mais que os demais. Mas o que importa é que estive preso em outros afazeres que impediram a produção espontânea de O Canto do Vento. Agora, no entanto, pretendo retornar com as poetizadas, cronicadas, romantizadas etc...
A verdade é que preciso tornar este espaço um verdadeiro Diário de Bordo para as futuras empreitadas acadêmicas, profissionais etc.

Começo então por dizer que este é um ano, já de início, meio polêmico. Teve até um filme sobre ele ("2012"). E o calendário Maia não prevê mais nada após o mesmo. O que significa tudo isso? Não sei ao certo. Suponho que, somando-se as culturas, religiões, e vidências, pode até ser que tenha algo a ver. No mais, não passará de mais um ano como qualquer outro - salvo pelo crescimento populacional, buraco da camada de ozônio, efeito estufa e etc.
Este será um ano novo para mim, no sentido profissional, em específico. Começo AGORA a minha carreira como Professor de verdade (chega de estágios). E também parece que minha vida tomará rumos bem mais diversos que de costume até então.
O que acontece é que passei por mudanças em aspectos tão gerais que comentar aqui seria dar vazão para um diário colossalmente cansativo de se ler. Então, por praticidade, digo apenas que espero deste ano somente paz, amor e esperança. E que meu namoro frutifique, e que meu trabalho ganhe espaço no mercado, e que a saúde prevalesça em nossas vidas!
Feliz 2012 a todos!

O Canto do Vento está de volta!

PS: viu, amor, estou aqui, tá?!