sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Virtude e Caridade (Amor)

"A Virtude é fruto do desprezo de si próprio", já dizia S. Catarina de Sena em uma de suas cartas. Isto é muito interessante para nós, cristãos. Pois a virtude é um Bem preciosíssimo, seu valor é inestimável, e ela não pode faltar (de jeito nenhum) na lista dos Bens almejados pelo ser humano; em específico os seguidores de Nosso Senhor Jesus Cristo; até porque é através dela que o caráter cristão se mostra em sua plena idiossincrasia existencial, isto é, na sua essência natural.
O cristão, assim como o próprio Cristo, é aquele que demonstra piedade, valor, humildade, sapiência (sabedoria), temor (de Deus) e muito mais. Em resumo, diria que o cristão é um ser virtuoso por plenitude - ou ao menos deveri sê-lo, em teoria.
Nós, que adoramos o Verbo Encarnado, devemos buscar imitá-lo ao pé da letra, ou seja, sem deixar de lado nenhuma das virtudes demonstradas por Ele no Evangelho. Precisamos disto para nos mantermos em estado de Graça Santificante, que é o estado no qual podemos desfrutar da presença e Graça do Espírito Santo de Deus. É neste estado que o Senhor não nos nega o que pedimos (se o fazemos para honra e glória de Deus, claro). Por isso, devemos almejar, antes de mais nada, a realização de todas as virtudes em nossas vidas!
Um ser virtuoso é, conforme vimos ainda há pouco com S. Catarina, alguém que se despreza a si próprio. Mas não é por nada que assim o faz. Quem se despreza a si próprio deve assim fazer por um único motivo. Por Amor!
Sim, pois quem ama não se apega em si mesmo, pelo contrário, faz o possível para dar de si ao próximo. E nisto consiste a cristandade. O Amor é "Ágape", e isto quer dizer: entregar-se por Caridade.
Se somente quem ama (caridade) consegue o desprezo total de si próprio, então, somente aquele que ama consegue ser realmente virtuoso. Poderia até inverter, dizendo que só quem exerce a virtude é que ama, pois ninguém faz o Bem sem Amor!
Dizendo tudo isso, podemos pensar na vida intelectual, ou melhor, de estudo. Aquele que se propõe estudar os componentes da existência, este deve, antes de qualquer coisa, aspirar pela virtude. Pois que sem esta é impossível alcançar os benefícios de tal arte. E o maior Bem que o estudo pode possibilitar é a Verdade!
A Verdade é o que nos impulsiona, nós humanos, a viver plenamente felizes. Sem Ela é impossível sermos felizes. A Verdade é o Bem em si próprio, e o Bem é a Verdade. Não há como separá-la disto.
E Deus é a Verdade, o Bem-Último de todas as coisas. Por isso, aquele que estuda, deve manter-se consciente desta Verdade. Pois nosso intelecto pode zapear por áridos desertos antes de reconhecer isto. E seria lamentável encontrar uma mente capengando-ponto-e-vírgula (como o diz um amigão meu) por aí.
Quem estuda deve querer "só" a Verdade. E é por isso que não se estuda por estudar, mas para aprender a Verdade sobre o mundo e sobre o Criador do Mundo.
Sem esta Metodologia de estudo não se pode ser feliz.

Nenhum comentário: