quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A Natureza Fala da Verdade, Fala de Deus!



Toda atitude humana, bem como todo padrão de comportamento ou forma de pensamento que não esteja conforme a natureza dos fenômenos que nos circundam está (e assim deve ser concebida sempre) ERRADA!
Sim!... devo, aqui, ser fatalista para haver compreensão imediata por parte dos leitores!
Ou seja, quando você vir alguém tomar uma atitude ou se expressar de forma contrária aos padrões da natureza tal como Deus a criou, nem deverá pensar duas vezes antes de disparar um alto e claro: "ESTÁ ERRADO!" E isto não será autoritarismo, ou presunção, ou quaisquer tipo de atitude egocêntrica, pois estarás dizendo da Verdade!
Se você parar para observar, hoje em dia parece predominar uma certa postura [nocivamente] artificial no modo de pensar da grande maioria das pessoas. E por quê?
Talvez porque o que é contra Deus esteja simplesmente no comando do fluxo da sociedade [ironia pura!]. Afinal, retomemos uma coisinha básica, quem é mesmo o Príncipe deste Mundo segundo as Sagradas Escrituras?
Então, né...
Bom, penso aqui que o que podemos fazer, quando muito, é rezar e nos penitenciarmos, sofrendo uns pelos outros, na missão evangelística de buscar a salvação - nossa e - de todos, principalmente dos que estão ao nosso redor.
Mas voltando ao tema do início, sobre a questão da falsa postura humana perante a Verdade, é muito complicado tudo isso. Se por um lado a maioria pensa contrário ao verdadeiro fluxo de consciência e pensamento, a pequena minoria cristã contém uma grande maioria de analfabetos doutrinários e espirituais! E isso gera mais problemas ainda.
Pensemos um pouco. A massa da população pagã, ateísta, panteísta e etc, pensa que existe outra maneira de conceber a realidade que não aquela projetada e manifesta nos processos naturais dos fenômenos da Natureza que Nosso Senhor criou. Ou seja, hoje em dia o azul do céu pode não ser mais azul, e sim a cor dos nossos olhos. E o que é veneno pode não ser mais veneno, e sim algo que o nosso corpo ainda não entendeu ou suporta, e que a "evolução" resolverá daqui uns milhares de anos ou séculos vindouros.
Tsc tsc tsc!
O que pensar a respeito?
Simplesmente que a loucura se democratizou e tomou conta da grande massa populacional! Se antes, na época de Santo Tomás de Aquino era blasfêmia sem paga dizer que Deus não existia, hoje, é inconcebível viver segundo critérios baseados no mesmo Deus que um dia foi o parâmetro de todos os valores culturais ocidentais medievais. Esperemos até aonde isso tudo nos levará.
Não parece haver um bom rumo pela frente. E o fim realmente parece se aproximar.
A medida que o homem se afasta da natureza, constrói o próprio sepulcro e a própria ruína. E Deus é FATAL!... Não tardará em dar a sentença final!
Esperemos que nossa conduta esteja de acordo com a Verdade... senão....
Bom, a verdade é que somos tão acomodados que nem prestamos atenção ao quanto de mentiras demoníacas já aceitamos por conveniência político-social, cultural etc.
O Mundo vive de conveniências, independente se estas atacam de frente à Verdade, a Deus!
Observemos o nosso corpo, com seu metabolismo, como proposto no Post anterior a este. E notemos que suas leis provém de tudo menos a nossa vontade consciente. Significa que é autônomo, involuntário, inconsciente. Pelo menos até o ponto em que não depende de pensarmos para funcionar tal como funciona e que sempre funcionou desde que nos entendemos por seres humanos. Agora notemos o quanto estas leis são imutáveis perante fenômenos que "ameaçam" o equilíbrio do bom funcionamento metabólico. E notemos ainda o quanto nosso metabolismo é hostil à bactérias externas, a vírus, aos fungos e a qualquer organismo extranho que não tenha afinidades ontológicas com nosso sistema corpóreo.
É isso, pessoal. Basta observarmos a natureza de nosso próprio corpo para termos um bom exemplo de como é Deus. Ou seja, Ele trabalha a existência da maneira como trabalhou o sistema natural do sistema cósmico e biológico.
E este exemplo já explica por quê é pecado sexo com preservativos. Pois, para o corpo, estaríamos estimulando-o a produzir matéria prima para um novo ser humano, o que é o objetivo de tal ato (cópula). Mas, em nossos propósitos egoístas e irresponsáveis, estaríamos vetando-o de sua função, objetivos e, pior ainda, do projeto Divino - do qual viemos à Luz!
Não está clara a questão da Verdade perante a Natureza?
Olhemos para os números, convenções simbólicas com finalidade à quantificação dos componentes existenciais. E percebamos que se 2+2 são 4, é porque a realidade não pode se contradizer a si própria. Seria absurdo uma hora ser 4 e noutra mesma somatória 5 ou 6 ou 2,4 - o pior é que o Mundo Moderno está tentando fazer valer este "falso espírito da realidade".
Estamos vivendo uma era de conceitologias ou conceitolatrias. Cultuando teorias modernas pela simples convenção moderna de se utilizar do que é prático, fácil, ATUAL.
O homem atingiu uma academicidade alienada, sistematicamente alienada. E tal fato não melhora em nada a produção de boas obras para a humanidade. O que deveria ser feito? Precisamos de salvação imediata!
Antes lutava-se para provar que Deus existia ou não existia. Hoje, provar alguma coisa é mito. Nada se prova. Tudo se prova. Nada é nada e tudo é tudo. Ou seja, não há padrões... não há mais arquétipos. Não há modelos nem paradigmas epistemológicos universais.
O próprio termo Universal já virou heresia nos altares da teoria sociolinguística.
Se você tenta defender uma literatura universal, pelo teor formativo-universal da mesma, já é combatido por uma massa pseudo-pensante de extrema-esquerda e revolucionária, que tentará destruir até o último dos moicanos do pensamento conservador católico!

Mas em contraste a tudo isso que foi dito: peço a Deus, à Nossa Senhora, aos santos anjos, e a todos os cristãos que rezam pelo Mundo... forças e as Virtudes necessárias para alcançar o Céu, desde já, aqui na Terra.
E, assim como a uma vela que queima em meio à escuridão, quero verter luz para todos ao meu redor, iluminando-os com a chama da Fé, Esperança e Caridade, mesmo que me custe o consumo de minha própria alma; tal como a vela que não percebe que, enquanto ajuda a iluminar, se destrói a si própria pelo bem maior.
Assim nos foi o Cristo, que se entregou em sacrifício no altar da Salvação, a fim de nos abrir as Portas do Céu.
Tudo pode se tornar exemplo para fazer analogia às coisas de Deus.

Nenhum comentário: