domingo, 1 de setembro de 2013

Meu Amor ♥

Meu amor de ti preciso
Mais que tudo nessa vida
Sem ti vivo indeciso
Procurando uma saída

De um adornado recanto
Tu és a mais linda Flor
De voz linda, doce canto
Que enfeita nosso Amor!

Meu amor sem ti não vivo
Nem ao menos um segundo,
É de ti que eu preciso
Para ir ao Belo Mundo!






Seguir em Frente

Na vida de tudo enfrentamos um pouco (ou muito!). Ora são coisas boas, ora ruins. Momentos alegres ou momentos tristes. Dias de luta ou dias de paz. E assim por diante...
Por isso, o importante é compreendermos que, mesmo nas dificuldades da vida, algumas coisas não devem ser abaladas por tais atrocidades. Mesmo que estejamos descontentes, ou até se estivermos doentes, algumas coisas precisam continuar intocavelmente firmes em nosso coração; a principal delas: o Amor.
Por si o Amor já é essencial, mas se o assunto é relacionamento, a permuta amorosa se faz emblemática! É por isso que, independente dos momentos difíceis pelos quais possamos passar, fico contente de saber que o Amor que sinto encontra eco em outro coração, ao lado do meu. Assim continuo a batalha dos meus dias, sabendo que não caminho só. E sabendo que, independente do quão árdua possa ser a jornada, não estarei sozinho.
Na vida de tudo enfrentamos. Mas desistir de lutar é a única coisa que não podemos fazer, se o que nos fortifica é o Amor que impulsiona a cada dia. Por isso é tão simples o que é complexo: continuar. Seguir em frente. Caminhar sem parar, sem olhar para trás. Não dar bola às atrocidades ou picuinhas periféricas. Não permitir que o Diabo roube nossa paz de espírito, nossa tranquilidade. E assim seguir em frente.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Leda ou: para quê uma Musa?

Os antigos poetas gregos 
Em suas Musas buscavam,
Para compor suas poesias, a artística inspiração.
Era delas, assim, que provinha 
Toda palavra [poeticamente] lapidada
E no papiro cravada para depois declamar.

Eu, por minha vez, graças ao bom Deus,
De uma Musa dessas para inspirar-me já não preciso;
Pois que de nenhuma força "externa" careço para poetizar...
Se me basta, simplesmente, 'lembrar', a cada momento,
De que em MIM "habita" a própria FONTE amorosa da Poesia...
De que em meu coração jaz a "Cálida Rosa" 
Cuja presença e calor são, para feliz eu viver, o bastante!

Sim, pois de uma Musa não preciso
Se tenho, em meu ser, a certeza:
De que Aquela que Deus criou para o Amor
Em Amor comigo se encontra!
Encontrados então nesse Amor seguimos,
Procurando das fagulhas de verdade 
A Verdadeira Luz:

Leda! Leda!


Leandro Vieira
In corde Iesu et Mariae semper!


terça-feira, 14 de maio de 2013

Sete Meses Faltando...

Às margens de um lago me sento,
O horizonte infinito contemplando
E, em recordação, tua serena face trago
Pra alegrar meu interno Recanto...

Pois do Mel, em meus lábios, o doce tu és;
A fragrância que minha inspiração acaricia
Co's melhores odores das Rosas
És tão bela, és tão pura, és formosa:
Daniela és meu Anjo, és Irmã, és minha Noiva!

Qual criança em meus braços te embalo
Pro calor de meu corpo te dar
E assim dia-a-dia mais velhos...
Até a Morte um dia iremos...
Renovando esse nosso Amor!




segunda-feira, 13 de maio de 2013


Para se obter algo é preciso das algo em troca

Por trás da constituição ontológica deste mundo parece haver uma espécie de lei imutável, sendo seu princípio, aproximadamente, o de que para se obter algo é preciso sacrificar algo. Mas não falo apenas das coisas que envolvem o ser humano. Quero dizer também a respeito de TUDO o que existe neste mundo. Desde as formas microscópicas de vida até à colossal grandeza cósmica do Universo, suas galáxias e seus astros.

Vejamos alguns exemplos gerais. Se disponho duma folha de papel em branco e preciso anotar nela algumas informações importantes, logo terei de sacrificá-la [sua brancura] se quiser alcançar o meu objetivo informacional. Mas antes de pensar no sacrifício da "brancura" [pela tinta no papel], talvez fosse mais profundo retrocedermos às árvores que antes foram sacrificadas para a obtenção da folha de papel, e assim por diante. 
Ora, isto não foi um sacrifício em prol de algo?

Outro exemplo. Se possuo um corpo mais gordo ou magro que o recomendável para minha estatura, acaso não terei de sacrificar tempo, gostos alimentares e, sobretudo, dinheiro para obtenção da "forma" adequada a mim? 
Ou seja, minha perfeita forma física estará, de acordo com este raciocínio, subordinada ao nível de sacrifício com que me dispuser a buscá-la; assim, sacrificando meu tempo, "guloseimas" e dinheiro, obterei melhor forma física e saúde. Sacrificando árvores e a brancura das folhas, obterei 'N' tipos de informação impressa - é claro que o papel não precisa ser a única forma de sacrifício para fixarmos informações verbais ou imagéticas na matéria.

Estenda este raciocínio para quaisquer instâncias da vida, e verás que se aplica com profundo valor analógico!


quinta-feira, 9 de maio de 2013



CIENTOLATRIA MATERIALISTA OU: COMO DESAPRENDER A VERDADE ÓBVIA

Talvez o maior "problema" científico atual seja a delimitação absoluta dos fenômenos analisados.
Eis o que nos causa tanta dor de cabeça e tanta controvérsia quando muitos focam, ao mesmo tempo e em perspectivas diferentes, um mesmo objeto ou assunto em questão.
Parece mesmo que este problema não passa de um resultado do (progressivo) desprestígio acadêmico por Deus, desde o Iluminismo até o Pós-Modernismo em que nos encontramos; ou seja, após a queda da Metafísica, enquanto instância de valor nas discussões universitárias, o 'inefável' (e suas interessantíssimas implicações racionais) perdeu seu atrativo e imprescindibilidade tais como era tratado na Academia de 'antes' - quando falar em Deus era tão nobre quanto hoje é desprezível[!]
Em outras palavras: uma vez seduzido, influenciado e absorvido completamente pelo discurso das Ciências Exatas (desde sua ascendência e instalação histórica no Mundo), o Acadêmico de hoje, independente da área de concentração a qual pertença (Exatas ou Humanas), preza somente pelo discurso matematicamente exato, materialista, cético e anti-metafísico; isto é, visa pura e simplesmente o caráter 'fenomenológico' (visível, palpável etc.) das coisas. E o pior de tudo é que, agindo assim, ele crê estar exercendo a verdadeira 'crítica' em detrimento da erroneamente denominada Idade das Trevas! 
Oh! Céus!
É uma crise sem precedentes na História do Homem... (Ah! e da "mulher", para as Feministas de plantão[!])

Leandro Vieira
 


segunda-feira, 8 de abril de 2013

Meu Amor

Meu amor é uma garota, antes de tudo, bela, inteligente e sensata. É dócil no agir, sutil e delicada no movimentar-se. É íntegra na espiritualidade, e amável em todos os sentidos que uma mulher pode sê-lo.
Aos olhos de outros homens, poderia parecer "apenas" isso que foi dito acima.  Mas, aos olhos daquele para quem ela fora encaminhada como noiva, isto é, a pessoa que aqui escreve, talvez seria mesmo impossível de expressar às outras pessoas em quê consiste Daniela França! E a razão é muito simples: só quem está a seu lado, na vida amorosa, poderia "conhecer" do que ela é capaz em seu pequeno-imenso coração feminil!

Para mim, com seu "jeitinho" pueril (mas não imaturo) de ser, basta um comentário qualquer a uma ideia ou acontecimento do dia para, abruptamente, surgir em meu peito um ímpeto maluco de lançar-lhe todo o amor que sinto por ela. Só Deus poderia criar algo assim!
Meu Amor é assim. Simplesmente "boneca". Totalmente a pura e cristalina beleza de que necessito para a felicidade que aqui na Terra Deus possibilita.

E se eu pudesse colorir um retrato do que sinto por ela, talvez pintasse um céu de opala recheado de estrelas fagulhantes, com uma lua cheia ao canto e com toda sorte de brilhos e contornos abundantemente matizados.


Meu amor, isto é só um esboço do que sinto por ti...
Que a nossa Estrela brilhe, e que brilhe mais forte a cada dia, para iluminar aqueles que de nós precisar para ver o Amor acontecendo!

In corde Iesu et Mariae semper!


Pax!

segunda-feira, 11 de março de 2013

Daniela


[Meu Amor...]

Ao mirar tua fotografia
Nesta tela de computador
Minha alma logo se arrepia
Pois me lembro bem do teu calor!

E me lembro bem da tua face
E do teu olhar que me ilumina
Como se uma estrela cintilasse
No teu rosto que só me fascina!

É tão bom lembrar de ti assim,
Quando triste ou muito estressado
Quando na fadiga de um momento
Em que estou muito ocupado.

É por isso que tua imagem brilha
Como em meus olhos brilha a Lua
Dentro do Oceano do meu peito
Tal como o ladrilho pela rua!


Meu amor, te amo e assim o será para todo sempre!

In corde Iesu et Mariae semper!

Salve Maria!







Dani = Amor Eterno de Minha Existência


De vez em quando, ao pensar um pouco sobre a vida, de repente nos deparamos com fatos que mudam radicalmente nosso estado de humor. E que fato é este, para um homem, senão o de lembrar-se, principalmente nos momentos mais insossos ou tediosos, de que uma parceira lhe fora dada por Deus!

Sim. Uma parceira, uma auxiliar, uma Mulher para ser amada e dela colher Amor! Pois de tudo o que podemos desfrutar nesta vida, o Amor é a substância que nos move e que mais nos toca a alma e o espírito. Por isso dele se compraz jubilosamente nossa existência, ao tomar nota de que sem o mesmo jamais seria possível a Felicidade plena. E que Amor melhor seria senão o Amor que o próprio Deus se nos coloca diante dos olhos? Que Amor mais perfeito senão aquele em que nossas orações encontram a resposta e a tradução do SIM divino?!
Pois é. Assim me deparo com a alegria de me lembrar dela. A minha musa. Minha linda e serena princesa, divinamente trazida aos cuidados de minha virilidade congênita!

Meu amor é assim: um lago cristalino, porém profundo como o céu noturno. Refrata as estrelas tal como o espelho mais límpido, pois assim me são seus olhos: pueris na malícia, porém mestres em analisar as entranhas da psique humana.
Meu amor é como um oráculo de presença mística; donde provém toda a minha esperança de bem trilhar os caminhos de Deus. Por isso, com ela, pretendo alcançar o fim dos meus dias, aquele sono profundo da espera escatológica.

L.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Por uma equalização conceptiva

Como é difícil equalizar duas cabeças num mesmo raciocínio temático ou num mesmo viés conceptivo [e coisas do tipo]. Pensando sobre esta questão até suponho que seja mesmo impossível acontecer uma tal sintonia mental. Mas talvez não fosse de todo inútil tentar encontrar alguma forma de tornar real uma verdadeira equalização ou sintonia conceptiva entre as pessoas.
Eu, por exemplo, concordo plenamente quando se diz "cada cabeça: uma sentença". Mas também acredito que isto não é uma regra absoluta para o ser humano. E a razão se dá porque creio na Universalidade da Verdade em Deus, por Cristo Jesus - através da Santa Igreja Católica Apostólica Romana. No entanto, as pessoas tendem a acreditar apenas em si mesmas e a sonegar fragmentos imprescindíveis da Verdade total. Estas "partículas" da Verdade encontram-se, muitas vezes, naqueles fatos auto-evidentes que a maioria das pessoas "modernas" fazem de conta que não existem, ou que são no mínimo invisíveis aos olhos "comuns" - isto é, não críticos - da sociedade.
A Igreja, enquanto Porta-Voz da Verdade no Mundo, não pode se dar ao erro. E a justificativa é praticamente evidente: Ela é a "esposa" por excelência. Esposa esta que tem por esposo senão A Verdade Encarnada: o Logos Divino!
Portanto, sendo eu um fiel desta "instituição divina" - que de humana só tem a "casca" - jamais poderia me dar ao luxo de acreditar piamente na sentença "cada cabeça: uma sentença", pois esta significa apenas que não há Verdade em absoluto, mas verdades contingentes.



Minha princesa,
Minha musa,
Minha pequena...
Cheia de charme,
Repleta de beleza.
Tu és aquela que meu coração encanta!
E de ti me faço refém...
Se do Amor tenho de dar testemunho!
Pois nossos caminhos por fim se encontraram
E agora juntos estamos no palco da existência:
Para o Mundo dos homens galgar pela força da Fé!
Juntos, e somente juntos...
Seremos aquilo para que fomos criados:
Uma só carne!
Doravante nossos sonhos serão, 
Em uníssono,
Como uma só estrada que mira o Céu!